Mini Samambaia Havaiana


Mini samambaia havaiana
Mini samambaia havaiana

As samambaias, também conhecidas como fetos, devido ao aspecto característico dos seus brotos em desenvolvimento, são plantas pteridófitas que habitam o planeta há centenas de milhões de anos. Registros fósseis já indicavam a presença de seus ancestrais durante o período Carbonífero. 

De tão antigas, as samambaias são reminiscentes de uma época em que as plantas ainda não sabiam produzir flores nem sementes. São plantas assexuadas, que se reproduzem através de esporos.

As samambaias já foram as estrelas da decoração de casas e jardins, principalmente durante as décadas de 1970 e 1980. Lembram, ainda hoje, os lares de nossas mães, tias e avós. Após terem caído em desuso durante algum tempo, estão voltando à cena nesta primeira década do novo milênio. Hoje, já é possível encontrar projetos assinados por renomados paisagistas e decoradores que incluem samambaias das mais diferentes espécies e tamanhos.

Neste contexto, eis que vem ganhando espaço uma simpática mini samambaia, ainda não muito conhecida do consumidor brasileiro. Trata-se da samambaia havaiana, pertencente à espécie Nephrolepis exaltata.

A mini samambaia havaiana surgiu a partir de uma mutação genética de uma variedade cultivada nos Estados Unidos, a samambaia de Boston. Ao contrário de suas primas frondosas e enormes, a samambaia havaiana é conhecida por seu porte compacto e felpudo. Esta miniatura de samambaia é perfeita para ser cultivada dentro de casas e apartamentos, até mesmo em escritórios com luz artificial.

Mini samambaia havaiana
Mini samambaia havaiana

O cultivo da mini samambaia havaiana é bastante tranquilo. Basicamente, esta planta cresce no mesmo ambiente em que nós, seres humanos, sentimo-nos confortáveis. Esta pequena samambaia gosta de locais sombreados, com uma luminosidade indireta, sem muito sol nem calor. Também não aprecia vento constante, o que a torna ideal para ser cultivada em interiores.

A rega da mini samambaia havaiana deve ser esporádica, apenas quando o vaso estiver leve, ou seja, seco. Esta planta aprecia uma boa umidade relativa do ar, mas não pode ficar encharcada por muito tempo. O solo precisa ser bem drenado, rico em material orgânico. É importante lembrar que, nos dias de hoje, não se cultivam mais samambaias em xaxim, uma vez que a planta que produz este material encontra-se sob risco de extinção. Um bom substrato para plantar samambaias deve conter partes iguais de terra comum, terra rica em material orgânico, como húmus e cascas de árvores, e areia.

A forma mais rápida de se reproduzir a mini samambaia havaiana é através da divisão do rizoma. A multiplicação através dos esporos é mais demorada e difícil de ser alcançada.  A preocupação que muitos têm é se a planta fica grande, com o tempo. Esta variedade, em particular, é miniaturizada geneticamente, o que significa que jamais ficará com as folhas enormes, pendentes, como as samambaias que costumamos observar.

Por ser uma planta de estimação, própria para conviver com todos dentro de ambientes internos, muitos se perguntam se a mini samambaia havaiana é tóxica quando ingerida. Embora existam pteridófitas tóxicas para crianças e pequenos animais, esta samambaia em especial não apresenta maiores riscos se ingerida acidentalmente. Claro que é sempre recomendável evitar estes incidentes.

Todas estas características tornam a mini samambaia havaiana ideal para a decoração de interiores, principalmente em espaços pequenos como apartamentos. Uma pequena escultura felpuda que vale a pena ter como companhia.

Cristal de chumbo - Leveza e sofisticação


Bombonière em cristal de chumbo
Bombonière em cristal de chumbo

É comum depararmo-nos com dúvidas a respeito das diferenças entre vidro, cristal e cristal de chumbo. Tecnicamente falando, o cristal é todo material constituído por átomos e moléculas altamente ordenados, com elevado grau de simetria, arranjados em uma estrutura cristalina. São exemplos clássicos de cristais o gelo, o quartzo e o diamante. Na verdade, a palavra cristal deriva do grego krustallos, que justamente pode significar gelo ou quartzo. 

O vidro, por sua vez, é um material sólido e amorfo, constituído basicamente por sílica, que é o dióxido de silício, presente na areia. Há ainda a adição de uma série de sais, em composições e concentrações variáveis. Uma vez fundidas e resfriadas, estas substâncias dão origem às peças delicadas e transparentes, que conhecemos como vidro. Esculpida e trabalhada, esta mistura vítrea pode dar origem a refinados utensílios e objetos de decoração, tais como aqueles forjados pelos venezianos de Murano.


Bombonière em cristal de chumbo
Bombonière em cristal de chumbo

Existem ainda as peças popularmente conhecidas como cristais, tais como taças, vasos e bombonières, que são, na realidade, vidro de alta qualidade e transparência. Não são cristais verdadeiros porque sua estrutura é amorfa e não cristalina. Ao vidro comum são adicionados sais metálicos, particularmente o óxido de chumbo, em concentrações que variam de 10 a 25%, que conferem à massa vítrea maior densidade, transparência e brilho. São estas características físico-químicas que distinguem os 'cristais vidros' dos vidros comuns, diferenças estas que refletem no valor final das peças.

Além disso, é justamente esta maior dureza e densidade do cristal que permitem que as paredes das taças e vasos produzidos com este material sejam mais finas, melhor polidas e lapidadas, produzindo assim o som musical característico ao serem tocadas.

Por fim, as peças em cristal de chumbo são aquelas produzidas com vidro de alta qualidade, matéria prima selecionada e em cuja composição entram os níveis máximos de óxido de chumbo, geralmente em concentrações ao redor de 25%. Como resultado, temos um material mais pesado, de maior densidade e transparência, que apresenta um brilho superior em relação ao vidro ou 'cristal vidro' comuns.

A bombonière em cristal de chumbo, que ilustra este artigo, foi um presente especial do casal Magali Rodrigues e Marcelo Bemquerer aos meus pais. Na ocasião, também ganhei um belíssimo livro sobre a orquídea Vanilla, que produz a baunilha.

Prateleiras com design minimalista


Prateleira TEEbooks modelo US
Prateleira TEEbooks modelo US

Foi com grande satisfação que, há alguns dias, fomos contactados pelo designer Yuri Dalle Carbonare, representante da empresa TEEbooks, especializada na produção de prateleiras com design minimalista e inspiração italiana.

Interessado no conteúdo do blog e, com base nos temas nele abordados, o Yuri gentilmente se propôs a nos enviar uma amostra dos produtos TEEbooks, a prateleira branca, modelo US, da foto acima. O móvel é confeccionado em uma chapa de aço com 2 mm de espessura, ao mesmo tempo leve e resistente, capaz de suportar até 15 kg, ideal para livros, CDs, DVDs e objetos de decoração. 

Além da proposta original da prateleira US, achei que seu design clean e elegante seria perfeito para sustentar vasos com os mais diversos tipos de plantas. No meu caso, acredito que será uma excelente forma de ornamentar paredes com vasos de orquídeas floridas.

Prateleira TEEbooks modelo US
Prateleira TEEbooks modelo US

A linha de produtos TEEbooks foi concebida pelo designer Mauro Canfori, em 2009. Totalmente produzida no Brasil, com design minimalista, a marca oferece vários modelos de prateleiras, para diversos ambientes, além de elegantes luminárias que se acoplam perfeitamente aos móveis.

Atuando desde 1978 nos ramos da arquitetura, cenografia e design de móveis, Mauro Canfori tem um brilhante histórico de projetos desenvolvidos em diferentes países, como Itália, França e Brasil. Já trabalhou em colaboração com importantes marcas e designers de fama internacional.

Prateleira TEEbooks modelo US
Prateleira TEEbooks modelo US

As prateleiras da TEEbooks podem ser encontradas no site www.prateleirasdesign.com.br, em diferentes cores, modelos e tamanhos. Há opções para salas, quartos, escritórios, cozinhas e banheiros. 

Ao Yuri, deixo meu muito obrigado pela oportunidade de conhecer este produto, que certamente terá um lugar de destaque aqui no apê.