Berçário de suculentas


Berçário de suculentas
Berçário de suculentas

Uma atividade pela qual sou apaixonado, desde pequeno, é a de acompanhar o crescimento das plantas, desde o início. Sempre fui louco por plantar sementes, de qualquer coisa. Quando descobri que novas mudas de plantas suculentas poderiam ser originadas a partir de simples folhas, fiquei obcecado.

Forrei um pequeno recipiente de vidro com musgo sphagnum, o mesmo que utilizo para cultivar orquídeas. Este leito também pode ser preparado com areia ou uma mistura de terra vegetal e areia, em partes iguais. Os americanos costumam comprar solos próprios para o cultivo de suculentas, que consistem em misturas bastante aeradas e de rápida drenagem, geralmente com perlita.

O mais interessante desta técnica de propagação é que as matrizes não são perturbadas. Naturalmente, com o passar do tempo, a planta mãe tende a perder algumas das folhas mais antigas. Muitas vezes, elas caem no solo e brotam espontaneamente. Alternativamente, podemos destacar uma ou duas folhas da parte inferior da planta, sem maiores danos à mesma.

No meu caso, as plantas suculentas da coleção da minha mãe foram as doadoras. É aconselhável que as folhas separadas permaneçam em um local sombreado, bem ventilado e seco, por um período de três dias a uma semana, antes de serem introduzidas no berçário. Este procedimento visa dar tempo para que a lesão causada pela separação da planta mãe seja cicatrizada, diminuindo os riscos de um apodrecimento prematuro das folhas.

A manutenção é um pouco diferente da requerida por uma planta suculenta adulta. O berçário deve receber uma fina borrifada de água sempre que o substrato estiver seco. No calor, este procedimento acaba sendo diário.

Após poucos dias de cultivo, já é possível observar que algumas folhas começam a emitir raízes, no berçário. Ao longo das próximas semanas, novas minúsculas mudas começarão a surgir. Vou mantê-los informados sobre o andamento do processo, em artigos aqui no blog. É fato que, nem sempre, todas as tentativas serão bem-sucedidas. Mas, independentemente do sucesso ou não do experimento, é sempre um prazer observar o desenrolar do plantio. Eu olho a todo instante, já que o berçário está no meu quarto, ao lado do computador. É uma terapia bastante agradável, vale a pena experimentar!


2 comentários:

  1. Na escola, há longínquos anos, plantávamos feijões para aprender o processo da germinação... Confesso que não tenho sorte com suculentas. Já tentei cultivar algumas, mas sem sucesso. Frustração. Ou as mato de sede ou afogadas... Aguardaremos notícias dos teus bebês! Desejo-te muito sucesso! Abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alexia! Que legal, também adorava plantar feijões em algodão! De fato, a rega das suculentas é mais complicada, já que é muito pouco que elas necessitam. Vamos ver se dará certo por aqui. Muito obrigado pelo apoio e torcida!

      Um grande abraço!

      Excluir