Berçário de suculentas


Berçário de suculentas
Berçário de suculentas

Uma atividade pela qual sou apaixonado, desde pequeno, é a de acompanhar o crescimento das plantas, desde o início. Sempre fui louco por plantar sementes, de qualquer coisa. Quando descobri que novas mudas de plantas suculentas poderiam ser originadas a partir de simples folhas, fiquei obcecado.

Forrei um pequeno recipiente de vidro com musgo sphagnum, o mesmo que utilizo para cultivar orquídeas. Este leito também pode ser preparado com areia ou uma mistura de terra vegetal e areia, em partes iguais. Os americanos costumam comprar solos próprios para o cultivo de suculentas, que consistem em misturas bastante aeradas e de rápida drenagem, geralmente com perlita.

O mais interessante desta técnica de propagação é que as matrizes não são perturbadas. Naturalmente, com o passar do tempo, a planta mãe tende a perder algumas das folhas mais antigas. Muitas vezes, elas caem no solo e brotam espontaneamente. Alternativamente, podemos destacar uma ou duas folhas da parte inferior da planta, sem maiores danos à mesma.

No meu caso, as plantas suculentas da coleção da minha mãe foram as doadoras. É aconselhável que as folhas separadas permaneçam em um local sombreado, bem ventilado e seco, por um período de três dias a uma semana, antes de serem introduzidas no berçário. Este procedimento visa dar tempo para que a lesão causada pela separação da planta mãe seja cicatrizada, diminuindo os riscos de um apodrecimento prematuro das folhas.

A manutenção é um pouco diferente da requerida por uma planta suculenta adulta. O berçário deve receber uma fina borrifada de água sempre que o substrato estiver seco. No calor, este procedimento acaba sendo diário.

Após poucos dias de cultivo, já é possível observar que algumas folhas começam a emitir raízes, no berçário. Ao longo das próximas semanas, novas minúsculas mudas começarão a surgir. Vou mantê-los informados sobre o andamento do processo, em artigos aqui no blog. É fato que, nem sempre, todas as tentativas serão bem-sucedidas. Mas, independentemente do sucesso ou não do experimento, é sempre um prazer observar o desenrolar do plantio. Eu olho a todo instante, já que o berçário está no meu quarto, ao lado do computador. É uma terapia bastante agradável, vale a pena experimentar!

A grande maioria das plantas suculentas pode ser propagada através de suas folhas. A seguir, deixo uma relação com dicas de suculentas interessantes para quem está iniciando, por serem resistentes e de fácil cultivo:







Arte floral no gelo - Azuma Makoto




Azuma Makoto tem apenas 41 anos e já é considerado um dos maiores artistas florais do Japão. Além de ser um inspirado florista, ele vai além e transforma seus arranjos em instalações complexas e inusitadas, verdadeiras obras de arte. É de sua autoria, por exemplo, a performance de enviar bouquets de flores para o espaço e lá fotografá-los.




Em meio à sua produção artística, uma série de instalações que admiro bastante consiste na incrustação de imensos arranjos florais em blocos translúcidos de gelo. Poucos se dão conta, mas se simplesmente congelarmos a água, obteremos peças turvas de gelo. Azuma Makoto valeu-se de sofisticados equipamentos industriais para congelar seus arranjos, de modo a obter gigantescos paralelepípedos com o maior nível de transparência possível.




Foi inspirado por estas fantásticas instalações que decidi congelar orquídeas em final de floração, utilizando uma técnica caseira e um tanto quanto improvisada. Após cultivar uma orquídea por anos até ver sua primeira floração, não tenho coragem de simplesmente cortar a flor para montar um arranjo. Espero até o final do processo, quando a flor já começa a dar indícios de que vai murchar, para só então retirá-la e congelá-la. É uma tentativa de conservar e prolongar sua beleza.




Durante os desfiles da temporada primavera/verão 2017 da Paris Fashion Week, Azuma Makoto uniu-se ao estilista belga Dries Van Noten para criar um ambiente de sonho e fantasia na passarela. 




As peças da coleção foram apresentadas por modelos que percorriam uma majestosa trajetória flanqueada por colunas de gelo, nas quais encontravam-se enclausurados belíssimos arranjos de flores, verdadeiras esculturas etéreas.




O artista floral viajou de Tóquio a Amsterdã, para escolher as espécies que fariam parte do desfile. Aproximadamente 100 variedades de flores, muitas delas raras, foram reunidas em 23 diferentes arranjos. Estes, por sua vez, foram remetidos à Bélgica, para serem congelados em uma fábrica especializada. De lá, finalmente, viajaram em caminhões refrigerados até Paris, onde abrilhantaram o desfile de Van Noten.




Na concepção de Azuma Makoto, as flores tornam-se ainda mais bonitas imersas nos cubos de gelo, à medida que interagem com a luz e as bolhas de ar. Mais do que simplesmente servirem como decoração, as esculturas de flores congeladas fazem parte do espetáculo, interagindo com as roupas e modelos, ao mesmo tempo em que os blocos de gelo gradualmente derretem na passarela.






Desfile da Dior - Um Milhão de Flores




Cinco grandes salões de uma elegante mansão parisiense foram o palco de um memorável desfile de moda da maison Dior. O evento marcou a estreia do estilista belga Raf Simons como diretor criativo da tradicional marca francesa, apresentando a coleção outono/inverno 2012.




Os aposentos da suntuosa residência tiveram suas paredes revestidas com um milhão de flores, dentre elas, rosas das mais diversas colorações, peônias, dálias, delfínios azuis e orquídeas brancas. Uma gigantesca operação de logística foi montada para que os salões pudessem abrigar tamanha variedade de flores frescas, a tempo do desfile.




Todo o processo começou três dias antes do evento. Do chão ao teto, as paredes do imóvel receberam uma camada de espuma floral umedecida. Paralelamente, um milhão de flores de corte começaram a ser pré selecionadas e separadas por aposento, madrugada adentro. Nas primeiras horas da manhã, rumaram ao casarão acondicionadas em diversos caminhões refrigerados.




A partir deste momento, iniciou-se uma corrida contra o tempo, com dezenas de artistas florais encarregados de distribuir estrategicamente as diferentes flores de acordo com o tema de cada salão. Apenas o processo de colocação das flores nas espumas florais demorou dois dias. Elas não foram simplesmente espetadas nos suportes, houve toda uma preparação da superfície com musgo, para um melhor acabamento.




Neste evento memorável, as flores não serviram apenas como decoração. O estilista Christian Dior tinha paixão por flores e jardins. Segundo o designer Raf Simons, que comandou o espetáculo, a decoração floral atuou como uma metáfora da coleção inteira das peças apresentadas, uma homenagem à 'Flower Woman' de Dior.




A seguir, as flores utilizadas em cada salão: 

Salon Bleu: Delfínios
Salon Dior: Peônias, Rosas, Zínias, Dálias, Campânulas, Achilleas (Mil Folhas)
Salon Jaune: Solidago (Tango)
Salon Blanc: Queen Anne’s Lace (Flor de Cenoura), Orquídeas, Pipettes
Salon Rouge: Orquídeas, Celósias, Rosas, Achilleas