Decorando a estação de trabalho


Estação de trabalho minimalista
Estação de trabalho minimalista

Nos últimos meses, venho comandando uma cruzada contra o entulhamento em meu quarto que, por sinal, também é meu estúdio fotográfico, meu escritório de produção e cenário para filmagens. Tudo muito tosco, mas funciona, por incrível que pareça. Já foi pior, na época em que inventei de cultivar quarenta orquídeas no parapeito da janela.

Neste contexto, tratei de desfazer-me do maior número possível de móveis, equipamentos e objetos decorativos do quarto. O resultado final pretendo mostrar oportunamente. Por ora, gostaria de apresentar minha workstation minimalizada, a estação de trabalho onde passo a maior parte do dia, adornada apenas com uma orquídea amarela. É interessante como a presença de poucos elementos funcionais dão conta de todas as tarefas antes exercidas por um batalhão de equipamentos. Aboli o teclado, o mouse, o monitor de tela panorâmica e um número desesperador de cabos emaranhados, alguns inclusive com vida própria.

A paz que tenho sentido após a limpeza é indescritível. Acredito, inclusive, que penso com mais clareza, tenho melhores ideias e escrevo de forma mais inspirada. Avento a hipótese de que a bagunça e o entulhamento do ambiente que nos cerca acabem afetando a forma como pensamos, bem como nosso emocional. Para que vocês tenham uma ideia, mostro abaixo como era a decoração da estação de trabalho, há alguns meses.

Antiga estação de trabalho
Antiga estação de trabalho

Devo confessar que gostava deste tipo de configuração, algo no estilo ostentação, em que tudo fica à mostra. Também acho mais confortável manusear o mouse óptico e o teclado maior, independente. Como estou ficando velhinho, o monitor espalhafatoso ajuda a enxergar melhor certos detalhes, principalmente na hora de editar as imagens.

Just in case, ainda guardo os equipamentos sobressalentes. Mas agora que estou mais acostumado com a nova configuração, acho bastante difícil mudar de ideia e retornar ao ambiente de trabalho antigo.

Na versão minimalista da workstation, algumas coisas não saíram como o esperado. Pretendia colocar o vaso de uma mini-orquídea, planta de pequeno porte e flores igualmente mais discretas. A Cattleya híbrida amarela e vermelha, que aparece adornando a mesa, foi comprada como uma mini-orquídea. Mas acho que esqueceu-se de sua origem e cresceu descontroladamente. Está enorme e quase não coube no cenário para a foto. Ainda assim, fiz questão de mantê-la, já que para mim é indispensável ter a companhia destas criaturas belas e inspiradoras.

Além das orquídeas, acho perfeita a inclusão de plantas como a mini samambaia, calandiva, begônia e lírio da paz. São sugestões que costumo dar para quem deseja manter plantas em apartamento.

Também não abro mão de um ambiente perfumado, muito embora eu sinta cada vez menos o cheiro exalado por este aromatizador caseiro.

Aos poucos, vou aprimorando esta decoração minimalista e mostro o andamento do processo para vocês aqui no blog.