Como prevenir rugas no rosto


Sergio Oyama Junior
Sergio Oyama Junior

Durante muitos anos, em um passado distante, as pessoas costumavam achar que eu tinha uns dez anos a menos do que minha idade real. Atualmente, a coisa mudou drasticamente de figura. Descontam dois ou três anos, quando muito, e eu sei que é por gentileza.

Quando jovem, sempre me incomodei com o fato de me tratarem como criança. Hoje, fico horrorizado quando me chamam de senhor. Cada vez mais obcecado com o surgimento de rugas e marcas de expressão no meu rosto, decidi compilar algumas dicas para, se não exterminá-las, ao menos tentar atenuar estas alcaguetas da idade.

1. Dormir de costas


Confesso que sou viciado em dormir de bruços, a posição menos recomendada pelos ortopedistas. Sempre começo de costas e acabo todo torcido, com metade do corpo de bruços e a cabeça de lado. Ocorre que já tive muitos problemas no pescoço, por causa deste hábito, a ponto de ir parar no hospital. Como se não bastasse, percebo que, cada vez mais, as marcas de travesseiro demoram a desaparecer, ao longo do dia.

Por isso, não foi surpresa ler que dermatologistas americanos recomendam que não apoiemos o rosto no travesseiro, durante o sono, para evitarmos acordar com a cara toda amassada. Para os jovens, não há muito problema. Mas, a partir de uma certa idade, a pele perde elasticidade e demora mais a voltar ao normal.

2. Usar protetor solar


Hoje, existe uma unanimidade quanto aos malefícios que os raios solares podem provocar sobre as nossas peles. Muito se fala em câncer de pele ou melasmas. No entanto, um fenômeno que ocorre a todo momento, durante a exposição da pele ao sol direto, é o fotoenvelhecimento. Os raios UVA e UVB são capazes de quebrar moléculas essenciais para a saúde e multiplicação das células da epiderme, tais como o DNA. Este dano pode acelerar processos de envelhecimento ou surgimento de tumores.

Portanto, uma pele protegida do sol é uma pele mais jovem, mais elástica e livre de rugas. Basta compararmos a textura da pele de regiões menos expostas, como a coxa, por exemplo, com o dorso das mãos.

3. Usar óculos


Esta é uma dica curiosa, mas que funciona bastante. Tanto os óculos de grau como os de sol podem ajudar na prevenção do surgimento de rugas em nossa face. Caso tenhamos uma pequena dificuldade em enxergar, principalmente quando usamos computadores, tablets ou smartphones por muito tempo, tendemos a forçar os músculos ao redor dos olhos, para tentar focar melhor. A repetição deste gesto, por muito tempo, acaba acelerando o surgimento de rugas na região dos olhos, cuja pele é mais frágil e mais susceptível ao aparecimento precoce de marcas de expressão.

Da mesma forma, ao tentarmos proteger os olhos da claridade do sol, fazemos caretas que podem gerar rugas. Ao longo do tempo, de forma repetitiva, este gesto também pode levar ao surgimento de marcas permanentes. Neste caso, os óculos de sol exercem dupla função, de proteger a pele contra o fotoenvelhecimento e contra o aparecimento de rugas causadas pela contração dos olhos.

4. Não fumar


Devo confessar que fumei durante boa parte da minha vida. Desde que parei, há cerca de dez anos, pude notar uma melhora no aspecto da pele do meu rosto, entre outros benefícios de saúde. A ausência de todas aquelas substâncias tóxicas liberadas pelo cigarro garante uma pele mais saudável e corada. Também fiquei livre daquele amarelado horroroso do alcatrão. Eu tinha um orientador que fumava há muitos anos, e que possuía uma mecha amarela no centro do bigode branco, causada pela fumaça do cigarro.

Apesar de alguma controvérsia, existem cada vez mais estudos encontrando evidências de que o hábito de fumar leva à destruição de moléculas de colágeno e elastina, responsáveis por manter o vigor e a textura saudável da pele. Além disso, o monóxido de carbono dificulta a oxigenação dos tecidos. Fumantes costumam ter a pele mais pálida, fina e enrugada, por este motivo.

5. Não lavar muito o rosto


Os compostos químicos presentes nos sabonetes comuns tendem a eliminar muitos dos óleos responsáveis por manter a pele saudável. O resultado é um ressecamento excessivo, que pode ser prejudicial à pele. Caso seja necessário lavar o rosto várias vezes ao dia, o recomendável é utilizar produtos específicos para o rosto, com propriedades emolientes e protetoras. Também deve-se evitar utilizar água muito quente, que vai causar o mesmo efeito de ressecamento.

6. Hidratar a pele


Este é um conselho batido, repetido à exaustão, mas que sempre merece ser citado. Tanto as peles secas como oleosas ou mistas devem ser hidratadas, com produtos específicos para cada tipo. Costumamos ficar de olho em produtos milagrosos anti-idade, geralmente caríssimos, e às vezes nos esquecemos dos benefícios que um simples hidratante facial pode trazer à pele, principalmente no que concerne às rugas e linhas de expressão. Quanto mais hidratada a cútis, menos aparentes estas marcas serão.

7. Aplicar ácidos


O inverno é a estação ideal para utilizarmos aqueles cremes e séruns ricos em alfa hidroxiácidos (AHA), como o glicólico, derivado da cana de açúcar, o lático, derivado do leite, ou o cítrico, derivado do limão. Retinoides e Vitamina C também são substâncias frequentemente utilizadas nas composições de cremes anti-idade. Todos eles atuam provocando uma esfoliação química (peeling) na camada superficial da pele, estimulando a renovação celular e induzindo a produção de colágeno.


Estas são dicas caseiras, que podemos colocar em prática no aconchego dos nossos lares. Para procedimentos mais drásticos, rápidos e efetivos, é necessário procurar uma clínica especializada, sob orientação de dermatologistas ou cirurgiões plásticos.